[:pb]A nova era do Marketing digital[:]

[:pb]A nova era do Marketing digital[:]

[:pb]Empresas fechando as portas, profissionais desesperados, contas estouradas, escândalo após escândalo… crises e mais crises.

Nunca falou-se tanto na importância dos controllers no mercado de trabalho como se fala hoje. São necessários ajustes e cortes para que a empresa se mantenha e atravesse essa fase mantendo a razoabilidade de seu fluxo de caixa.

Empresa que não divulga, não existe. Mas como continuar divulgando a preços exorbitantes? É aí que entra o Marketing digital como ferramenta assertiva para o alcance do target.

Mecanismos de pesquisa e redes sociais estão presentes na vida da grande maioria da população mundial. Estima-se que aproximadamente 20% da população mundial esteja cadastrada no Facebook curtindo, compartilhando e comentando conteúdos de seu interesse, o que nos leva a refletir sobre o funcionamento estratégico por trás do Marketing 3.0, que parece tender a substituir o querer e o precisar pelo sentir e se envolver.

Existem inúmeros benefícios ao optar pela divulgação em redes sociais como o Facebook. Dentre elas, podemos destacar a possibilidade de maior interatividade com os clientes e parceiros e a utilização da Engenharia de tráfego visando atingir exatamente aquela pessoa que pesquisou algo sobre meu produto ou “curtiu” algo relacionado, notando-se nesse quesito a assertividade superior de tais técnicas ao compara-las, por exemplo, com as propagandas comerciais convencionais que, além de necessidade de maior investimento,  serão direcionadas a qualquer pessoa que naquele momento esteja acompanhando a programação de determinado canal.

O processo de indicação também é claro. Ao analisarmos o comportamento e as tendências de determinado target, poderemos designar ações que lhes chamem atenção e gerem compartilhamentos e visualizações, o que servirá como indicação direta ou indireta à sua rede de contatos.

Poupa-se dinheiro e tempo, além de incluir-se numa ação parcialmente sustentável quando se fala na exclusão da necessidade de materiais impressos. E o que dizer sobre a pesquisa de mercado? Tendo em vista a facilidade e dinamismo de comentários disponíveis sobre o produto/ marca nas mídias virtuais, é possível enriquecer significativamente uma pesquisa de mercado convencional ou até mesmo alterar sua configuração convencional, mais uma vez possibilitando redução de custos e resultados fidedignos.

Em estudo recente realizado pela Harvard University, confirma-se a eficácia de ações de Marketing voltadas ao meio digital:

O principal benefício notado pelos representantes das empresas selecionadas foi a melhoria da consciência e conhecimento dentre o público-alvo em relação às Organizações em si, os produtos e/ou serviços, seguido pela melhoria do tráfego ao site e melhoria da percepção das marcas.

Segundo pesquisa de 2015 da Fundação Getúlio Vargas, cada 1% a mais gasto por uma empresa em tecnologia se transforma, em 2 anos, em crescimento de 7% no lucro da organização. Poucos investimentos, no Brasil e no mundo, oferecem uma taxa de retorno tão alta. De acordo com Kotler, existem pontos importantes a se considerar quando se fala em clientes:

Disponibilidade: Esteja disponível quando o cliente lembrar de você, buscar um produto ou serviço oferecido pela sua empresa.

Economia: Como o marketing digital permite fazer uma segmentação bem assertiva, a compra da mídia é em sua maioria mais barata.

Eficiência: As ferramentas disponíveis no mercado auxiliam na gestão eficiente das campanhas e no relacionamento com o cliente.

Flexibilidade: Altere o rumo de sua campanha em tempo real, seja na criação, aumento ou redução de investimento ou até mesmo pausa temporária.

Em uma de suas mais recentes palestras, Serpa disse: “seja simples nas campanhas, nas estratégias, nas ideias e seja imprevisível” – “o clichê conforta os medíocres enquanto protege os covardes”.

E não dá para discordar, não é mesmo?

Fonte: http://www.administradores.com.br

 

 [:]

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Entre em contato!